Câmara de Vereadores vai convocar reunião com prefeito Leonardo para discutir o caos na saúde pública - APUAREMA 24HORAS

Anuncio No Post

Câmara de Vereadores vai convocar reunião com prefeito Leonardo para discutir o caos na saúde pública

Compartilhar

O vereador e presidente da Câmara, Uziel Barreto (PROS), informou que o Legislativo vai convocar uma reunião com o prefeito Leonardo Cardoso (PP), para discutir sobre o caos instalado na saúde pública, em Gandu. A declaração foi feita na sessão dessa segunda-feira, (11), pouco mais de 48h após a morte da jovem Glória Estefani Nunes, de 20 anos, no Hospital João Batista de Assis.
Antes de morrer, Estefani teria sido atendida no Hospital na última quarta-feira, (06), e, segundo informações da própria família, ficou em observação e foi liberada logo em seguida sem qualquer diagnóstico.
Além da morte de Glória Estefani, existem outros quatro casos apontados como negligência médica ou demora no atendimento.
RELEMBRE OS CASOS
Em janeiro de 2018: O pai de uma criança, relatou, em vídeo, a demora no atendimento no Hospital João Batista. Segundo ele, sua esposa já estava há mais 30 minutos na recepção do local, sem nenhum atendimento. No dia 26 do mesmo mês, um outro pai reclamou do atendimento recebido por sua filha. “Minha filha passou a noite e madrugada com dor e chorando. Fui ao hospital e o médico nem tocou na minha filha pra saber o que realmente ela estava sentindo, falou que só iria atender emergência”.
Em maio de 2018: uma bebê recém-nascida morreu antes de conseguir ser transferida para um Hospital especializado. De acordo com Luan, pai da criança, a chefia do hospital teria lhe informado que a bebê não precisava ser transferida e, que mesmo se precisasse, não teria como. “As ambulâncias do município estavam todas em viagem”, informou a responsável.
O pai da criança conta ainda que só após horas de espera, o vereador Cicinho (PT) teria lhe cedido uma ambulância. “Liberaram a ambulância assim que Cicinho resolveu ajudar. Mesmo assim tive que esperar por mais de 2h. A transferência deveria ter sido feita desde às 4h da manhã, mas a autorização só aconteceu às 13h da tarde, mesmo após ter assinado um termo de responsabilidade para transferir minha filha”.
Em junho de 2018: Silvio, de apenas 32 anos, teria sentido fortes dores no peito na noite do dia 23, foi levado ao Hospital e, segundo relatos de amigos, diagnosticado pelo médico plantonista com crise de ansiedade. O paciente foi atendido, medicado e liberado. Poucas horas depois as dores teriam voltado com mais força, ele chegou a ser socorrido por uma equipe do SAMU, mas não resistiu e veio a óbito vítima de um infarto fulminante.
Em março de 2019: familiares de “Nalva Enfermeira” também apontam negligência como um dos principais motivos para a morte da mesma. De acordo com publicação de integrantes da família, feita no facebook, Nalva teria ido ao Hospital no dia 03 de março, esperou por 01h30min e não foi atendida. A paciente teria retornado à tarde e pedido para que colocassem no balão de oxigênio. A família informa que o equipamento estava trancado em uma sala, e nenhum dos funcionários sabiam qual chave abria a porta.

Fonte: Diario Paralelo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncio No Post

Anuncio Aqui!